Reuniões Loja Simbólica:  Segundas feiras às 20h /  Reuniões Lojas Filosóficas: Quintas feiras às 20h

 


 

 
Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

logo IND. CARIDADE

Continuando o ciclo histórico. Mais um texto do Livro Caminhos do Ontem da Loja Maçônica Indústria e Caridade.

A FESTA DA ABOLIÇÃO

             A participação efetiva da LOJA INDÚSTRIA E CARIDADE Nº 49 na luta contra a escravidão negra começou, como ficou dito anteriormente, em mil oitocentos e setenta e um, com a instalação, em loja, de um cofre para a coleta de fundos visando à libertação de escravos menores, especialmente do sexo feminino. Em mil oitocentos e setenta e cinco, com a Loja ISIS, pactuou a criação de um TRONCO DE BENEFICIÊNCIA ESPECIAL para a compra de Cartas de Alforria e, já no ano seguinte, tomava a decisão histórica de não admitir em seu Quadro de Obreiros a nenhum profano que exercitasse o tráfico de escravos.

             Assim, quando aos treze  de maio de mil oitocentos e oitenta e oito a Princesa Isabel, Regente do Império, sancionou a LEI ÁUREA ABOLINDO A ESCRAVATURA, a notícia encheu de júbilo a todos os Irmãos da INDÚSTRIA E CARIDADE. E disso, dá-nos conta o Balaustre de número mil cento e quarenta e quatro, do dia vinte de maio daquele ano, onde se lê:

            “ Estando a Loja devidamente composta, com todos os Irmãos de P.’. E A ORD.’. deu entrada no Templo o Pavilhão Nacional, sob uma abóbada de aço e cercado de estrelas sendo colocado no Oriente ao som de uma bateria incessante de aplausos depois do que o Irmão Venerável convidou o Irmão Orador a fazer a saudação tendo o mesmo proferido um brilhante discurso fazendo referência especial a assinatura da LEI ÁUREA por S.A. Imperial a Princesa Regente, D. Isabel e declarando que aquela festa era para demonstrar a grande alegria da Loja, em particular, e da Maçonaria, de modo  geral, pela conquista que tinha conseguido o povo brasileiro extinguindo para todo o sempre a mancha da escravidão o que representava uma grande vitória do povo maçônico que há muitos anos vinha se empenhando para que isso acontecesse. Foi muito aplaudido e o Irmão Venerável pediu vivas a Sua Majestade o Imperador, Sua Majestade Imperial a Princesa Isabel e a nossa Sublime Ordem. Depois o Irmão Venerável convidou os Irmãos a participarem em regozijo pela abolição da escravatura em nosso Pais...”  

Texto retirado do Livro Caminhos do Ontem. ( Farias de Carvalho)