Reuniões Loja Simbólica:  Segundas feiras às 20h /  Reuniões Lojas Filosóficas: Quintas feiras às 20h

 


 

 
Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

COMPORTAMENTO MAÇÔNICO NA CAMPANHA ABOLICIONISTA DA LOJA INDÚSTRIA E CARIDADE Nº 49

     Continuando o ciclo histórico, mais um texto do Livro Caminhos do Ontem da Loja Maçônica Indústria e Caridade.


     O Balaustre de numero trezentos e noventa e quatro, datado do dia seis de abril de mil oitocentos e setenta e quatro,

registra um acontecimento que, embora natural para qualquer Obreiro da Arte Real, merece ser divulgado publicamente, a fim de que aqueles que ainda não sabem como age e se comporta a maçonaria, saibam com a revelação de uma atitude rotineira na vida de um verdadeiro maçom.
     Para tanto, transcrevo a seguir, respeitando a ortografia original, o trecho da Ata que documentou o fato:
“... Que a Aug. E Resp. Loja INDÚSTRIA E CARIDADE não tendo podido dar liberdade a um escravo no dia da posse LLuz. Conf. Havia anteriormente deliberado, em razão de não ter se aprezentado em tempo quem a reprezentasse, resolveu a comm. Para esse fim nomeada, que no dia 03 do corr. Em comemoração da Sagrada Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Chisto, fosse dada a liberdade pela quantia de 550$000 ao escravo menor de nome Tancredo, de cor parda e de idade 8 anos mais ou menos e pertencente ao Dr. Pancrácio Frederico Carr Ribeiro que de bom grado annuio assignando a respctiva carta na presença de 2 testemunhas, cuja carta acha-se devidamente registrada no livro de Notas; que para effectuar-se a dita liberdade pela quantia ajustada de 550$000 teve a Aug. Loja de despender de seu coffre da emancipação a quantia de 120$000. e vários IIr. Com a quantia de 130$000que subscreverão, e para completar a quantia preciza concorreo o nosso Ir. Secre. A. Engeler com 300$000 visto que muito se interessava pela liberdade do dito menor escrav; que o menor de nome Tancredo ficará sob a tutela do nosso Ir. A. Engeler que de bom grado se offerece para a expensa sua mandar o educar nos sãos princípios da Religião Catholica, e nos estudos de Humanidades, obrigando-se a fazer todas as despezas com a educaçãodo mesmo até sua maioridade; Que no caso do Ir. A. Engeler por qualquer circunstancia i,prevista não possa continuar com o encargo a que se propõe, essa Aug. Loja usando seu direito tomará sobre si a continuação da tutella do referido menor a favor do qual resolverá o que melhor convier; Que sendo acceita a generosa offerta do nosso Ir. Secre. A. Engeler desde já lhe fique entregue o menor Tancredo, e bem assim uma copia da respctiva carta de liberdade, ficando o original archivado nassa Aug. Loja; Que esta Aug. Loja em nome de todos os seus membros dá testemunho ao nosso Ir. A. Engeler, dos protestos de seu reconhecimento por tão humanitário serviço que presta; Finalmente que sendo acceita e transcrita esta proposta na presenta acta, sirva esta de titulo da obrigação que o dito Ir. Secr. Contrata com esta Aug. Loja. “ 

 

Texto retirado do Livro Caminhos do Ontem. ( Farias de Carvalho)